segunda-feira, maio 15, 2017

O que você faria?
Olá, vamos ao meu segundo artigo no meu ressuscitado Blog.

Neste final de semana uma notícia, dentre tantas que abordam a editoria de violência, chamou a atenção. Dois homens invadiram uma casa, e a vítima ao notar a violência, pegou sua arma e passou fogo nos bandidos. Um está neste momento encarando seu julgamento, o outro não.

Não entrando nos detalhes, mas a pergunta é essa: O que você faria? Se tivesse a chance de ter uma arma nas mãos, vendo sua família ser espancada ou até como muitos casos violentada?
Outra ocorrência que o bandido estuprou a namorada na frente do rapaz que foi degolado na sequência. Então... e se você pudesse reagir, seu comportamento seria como?

É muito fácil estar do lado de fora, seguir as orientações da polícia em não reagir, mesmo com a sanha impiedosa e covarde de bandidos, que podem dar um fim na sua família. E se acontecer, você nada fez e apenas viu, pois seguiu as orientações imposta dos “Especialistas” em segurança... mas repito, e se a arma estivesse ali ao seu alcance?

Aí mando meu salve para os “Chopins” dos direitos humanos que mamam nas tetas do governo, impedem a polícia de agir como deve, tem dó de bandido e ainda são capazes de sugerir ao pai que pegou a arma para dar ao bandido seguir seu caminho merecido por estes parasitas (para mim o caminho destes vermes é caixão ou cadeia), pois o pobrezinho é uma vítima do sistema draconiano que fez ele trilhar pela caminha da vagabundagem... Ô dó!

Está claro meu posicionamento e minha opinião. Já fui assaltado. Me senti um lixo, impotente de não fazer nada e isso até hoje incomoda. O ladrão não aguentaria um tabefe, mas eu não tinha uma arma, igual à que ele esfregou em minha face.

E o que você faria?
Voltando ao topo do texto. Defenderia sua família?
Ou veria a eminente tragédia acontecer perante seus olhos e depois choraria?
Isto é um artigo, é opinativo, logo não tenho dever nenhum de ser imparcial perante as opiniões emitidas, que eu assino e são minhas.

Só para lembrar, ontem teve rebelião no Presídio Ênio Pinheiro em Porto Velho, bem na hora da visita e fizeram quem de reféns? Vocês sabem??? Os próprios familiares! Se eles não têm misericórdia nem com os entes deles imaginem com a gente.

Amanhã é o dia da volta do indulto do dia das mães.
Vamos ver quantos voltam, portanto fiquem atentos, que hoje alguns incorrigíveis, pois creio que tem gente que pode melhorar, podem fazer a feira final levando o que você suou para ter e nada pode fazer... a não ser que tenha uma arma!

Logo, sou favorável ao armamento, pois aí teria o treinamento para porte e aí vamos ver se os bandidos que sabem que a nação está desramada, seriam tão corajosos!

Até o próximo texto e interajam comigo comentando no Blog: www.santiagoroajunior.blogspot.com, Facebook Santiago Roa Junior.
Page: Santiago Roa, Twitter: santiagoroajunior e Instagram: Santiago Roa Junior.

sexta-feira, maio 12, 2017

O povo não sabe o que quer...


Olá, voltei aos meus artigos e Blog, para dar a impressão das coisas que cabem a mim.
Convido a todos para curtir a leitura e seja o que Deus quiser.
O título de hoje é sobre um fenômeno que eu não entendo.
Vamos lá...

Em uma cidade do interior de um produtivo estado notamos que: Ao ver o início do ano político em novos mandatos nas esferas executivas e legislativas de diversos municípios, direto se ouve que: Político é tudo igual, político é tudo ladrão, político não quer trabalhar e por aí vai.

Ao notar a chegada de vereadores novos com sangue nos olhos e a manutenção dos que ficaram, creio que pelo fato de mostrar trabalho na legislatura passada, tiveram a resposta honrada com o voto popular, me aparece agora em tempos modernos a reclamação dos mesmos que estão dando satisfação por mídias sociais.

O motivo é o postar em suas redes sociais, uma forma de prestação de contas, a fiscalizando obras do poder executivo, por exemplo o arrumar uma estrada ou ponte pela Secretaria de Obras.

Ora Bolas! Se trabalha são metidos e querem aparecer...

Se não trabalham são tudo aquilo que já citei. O que esse povo quer então, além de sarna para se coçar o doce prazer de ficar dando “azia” em tudo.

Quanto ao poder executivo, repare em outro fenômeno.
Nesse inverno amazônico as chuvas travam toda e qualquer operação de tapa buracos, que é uma baita demanda em várias cidades de Rondônia, e fazer isso é o mesmo de mandar o dinheiro público para o ralo.

Se o povo, por ventura, deu apoio ao chefe do executivo, surgem as explicações como essa. A chuva não deixa e tal...

Agora, se o povo que perdeu seu voto nas eleições não se conforma a primeira coisa que aparece é “bordoada” para tudo que é lado.

Mais uma vez notamos o analfabetismo emocional de consumir, destilar e compreender apenas o que lhe convém e o pior... por puro interesse pessoal!

Até o próximo texto e interajam comigo comentando no Blog: www.santiagoroajunior.blogspot.com, Facebook Santiago Roa Junior,  Page: Santiago Roa, Twitter: santiagoroajunior e Instagram: Santiago Roa Junior. Ufa!

quinta-feira, maio 11, 2017

Depois de um tenebroso inverno!!!
ESTOU DE VOLTA COM MEU BLOG.

Aqui destilarei meus 30 anos de Jornalismo, de histórias de sucesso (graças a Deus) e histórias traumaticas que vão desde conviver com imbecís, suportar coisas não publicáveis ainda dentro da vida pública e por ao vai.

Infelizmente é necessário mostrar o poder da informação, que não tem nada de quarto poder... e sim de contra poder, como diria o Mestre João Lago, pois quem tem a informação faz os outros poderes ficar com orifício corrugado excretor na palma da mão.
Entendam, que não é usar a Comunicação como "arma" de achaque, não sou dessa laia, e sim ferramenta de justiça!

Leiam, daqui a pouco o primeiro Artigo!

Santiago Roa - Bacharel em Cominicação Social - Jornalista. Radialista Profissional e Professor Universitário de Comunicação Social.

terça-feira, julho 15, 2014

CURSO: "Técnicas de Reportagem para TV"

CURSO
Jornalista ministra atualização de Técnicas de Reportagem pra TV


A busca pela padronização de reportagens, para que emplaquem nas emissoras cabeça de rede é um objetivo de todo repórter que atua em televisão. A matriz sempre espera um material no mesmo padrão de locução, texto, imagens e edição, mas infelizmente muitos locais do Brasil não aparecem por falta desta padronização. Para isso o Jornalista Santiago Roa Junior, radicado em Cacoal, ministra na próxima semana o curso intensivo que possibilitará a atualização para profissionais que já atuam na área bem como a inicialização que quem almeja trabalhar como repórter.

O curso abordará o seguinte conteúdo: História do Jornalismo, O Telejornalismo, A Pauta, Som e Imagem, Seleção de Informações, Encaminhamento da Matéria, O texto no telejornalismo, Passagem, Estruturação da matéria (Off, sonora, passagem, contra-plano, ao vivo e outros elementos), Fechamento, Locução, Pré-edição, Apresentação do Material.

Com carga horária de 18 horas aulas, a atividade acontecerá na sede da TV Meridional - Band, a partir do próximo dia 21. As aulas serão de segunda-feira a sexta-feira das 19hs às 22hs e o encerramento no sábado pela manhã das 8hs às 11hr. As vagas são limitadas e a certificação do curso será pela Associação de Imprensa de Cacoal (ACI),  tendo no mínimo 70% de freqüência, sendo o primeiro de vários cursos futuros na área da Comunicação Social.

Com o objetivo de capacitar estudantes e profissionais de comunicação nas coberturas jornalísticas na televisão, bem como, vivenciar e praticar as técnicas do cotidiano do telejornalismo através da elaboração de matérias em campo, o curso já é procurado por cidades vizinhas. "Neste curso os alunos receberão teoria e prática para desenvolver a pauta e elaborar a matéria. Posteriormente, a matéria editada é encaminhada a cada aluno com as considerações do professor ressaltando pontos positivos e negativos de seu material", explica Santiago. "Na próxima semana estarei ministrando o curso em Pimenta Bueno para os profissionais da cidade e queremos expandir para quem tiver interesse", comenta.

Inscrição
Os interessados podem se inscrever pelo e-mail: santiagoroajunior@gmail.com ou na sede da TV Meridional Band, situada a Avenida Marechal Rondon 880, esquina com Rua Antônio de Paula Nunes. O investimento é de R$250,00 para profissionais, simpatizantes e estudantes de jornalismo. Filiados a ACI o investimento é de R$150,00. "Visando fortalecer o evento, uma promoção foi lançada, onde o inscrito que trouxer mais um aluno tem 50% de desconto", informa o professor.
O evento é patrocinado pela Band TV Meridional, com apoio do Studio R, Laís Calgaroto Presentes, Gasoline Beer, News Rondônia, Ponto X, Jornal Tribuna Popular e Hangover Pub e é aberto para profissionais de todas as emissoras", completa Santiago.

Quem é Santiago
O jornalista também é professor universitário desde 2002, onde Coordenou os Cursos de Comunicação Social da Ulbra de Ji-Paraná, foi docente da Uniron em Porto Velho e do Curso Técnico de Rádio e TV da Fundação Rede Amazônica, na capital do Estado. Bacharel em Comunicação Social com habilitação em Jornalismo pelo IVE/MT, Santiago é Especialista em Docência do Ensino Superior pela Ulbra/RS. Com 23 anos de carreira ele acumula o registro de Radialista Profissional de AM, FM e Narração Esportiva, bem como atua em Rádio, TV, Assessoria de Comunicação Integrada e Jornal Impresso, além de ser Diretor de Curtas Metragens com alguns prêmios recebidos e Roteirista.

Ao longo da carreira participou desempenhando diversas funções em 11 campanhas políticas, onde no Estado fez o planejamento da eleição de Alex Testoni, mais votado na época como Deputado Estadual e o último feito foi a vitória de Mauro Nazif pela prefeitura de Porto Velho. Agora residindo em Cacoal o jornalista reabre o leque de atuações totalmente voltado ao interior com outras atividades que o profissional desenvolve como Stand Up Comedy e como produtor musical.


segunda-feira, fevereiro 24, 2014

Não é hora para hipocrisia... e sim solidariedade!

Quando leio que carnavais são cancelados por causa das alagações (transbordar de Rios Amazônicos e não erro de Português), vejo o comemorar de pastores evangélicos e fiéis ótimos de cultos, no entanto fora deles, são piores que muitos bandidos.

Foto: G1 Rondônia. 
Isso vale para todos e de todas as religiões. 
Li agora que por questões preventivas o Carnaval de Ji-Paraná fora cancelado. Correta a decisão. Na segunda cidade do Estado não há tradição de carnaval como existe em Porto Velho, Guajará Mirim, Costa Marques e Rolim de Moura. 
Entendam... Tem muitos profissionais que vivem de eventos: costureiras, artesões, músicos, ambulantes de bebidas, alimento e diversos. 
O que me dá raiva é ver o manifestar de Pastores e fiéis de araque dando graças que a festa "pagã" não vai acontecer como se fosse uma praga do Egito.
Esquecem que em eventos deste tipo, várias famílias se sustentam, geram renda e sobrevivem. 
Reitero... Correta a postura da Prefeitura de Ji-Paraná. 
Mas como perguntar não ofende: E SE ESTE PROBLEMA DE NIVEL DE RIO, CHEIAS FOSSE NO PERIODO DE UM GRANDE EVENTO EVANGÉLICO... COM CACHES, SOM E ESTRUTUTURA TODA PAGA... A reação seria a mesma?
Hipocrisia perante a desgraça dos outros não cabe agora. Tenham a certeza que este fundamentalismo não seria visto se o show hipotético evangélico fosse cancelado, não teria católicos, kardecistas, candomblecistas, umbandistas, dai mistas, judeus e nem budistas e islâmicos comemorando o prejuízo de um segmento religioso e comportamental.
Eu precisava dizer isso, aqui neste diário virtual, e não veiculo de comunicação chamado Facebook e Blog que leva meu nome.
Só lê que me segue ou amigo virtual... Logo... Leia. Não gostou Amém!