terça-feira, dezembro 18, 2012

2012 Como foi... e 2013 como será!

Olá amigos e amigas...

Depois de amargar uma paradeira neste humilde blog, volto a escrever de tudo um pouco, pois meu perfil é bem claro perante o que faço, o que amo e o que tolero.
Em 2012 estive na Secretaria de Segurança, Defesa e Cidadania (Sesdec), onde mediante as limitações estruturais herdadas pelos governos passados nadamos contra a corrente, mas enfim, foi um ciclo de aprnedizado nessa minha primeira empreitada na vida pública na condição de servidor... confesso que ví muita coisa em todas as esferas do poder. Alí fiz muitos amigos e amigas e criei um monstro o Blog do Chaddad.
Na docência dei um tempo na Fundação Rede Amazônica no curso Técnico de Rádio e TV, para me dedicar a Uniron nos cursos de Comunicação Social onde lecionei. 
O Stand Up, entramos em férias... e mudamos o rumo da piada...
Na música vários projetos natimortos e a Habeas Rock e a volta ao meu sonho de consumo musical a Semáforo 89, com o amadurecimento da turma e a volta da boa e velha amizade e parceria com Daniel Duarte e Alliene Guimarães. Retomada com Caio Neiva, Boa vivência com Igor Albuquerque, experiência boa com a Rock Soul Funk, Dr. Jocah e outros...
Tive a honra de vencer minha sétima campanha política, das 13 atuadas na condição de profissional da comunicação, agora com a vitória na Prefeitura com Dr. Mauro e Dalton di Franco. Eu, ao lado de Robinson Pereira, Bill MArques e Ronaldo Nina, somado a pequeno e competente elenco matamos o touro a unha.
Entrei na Rádio AM CBN - A rádio que toca notícias na condição de entrevistador e ai com os colegas Adão Gomes, Solano Ferreira e Marcelo Freira criamos o "Mais Rondônia", que hoje na Rádio Globo - AM 1.310Khz, segue a vida no Sistema Gurgacz de Comunicação com nova bandeira.
Na Rede TV, além do Tá na Rede (Semanal Esportivo), tive a chance de assumir o Programa A Hora do Rush e com nova roupagem estou a frente do Fala Rondônia. O programa é pioneiro no estilo revista eletronica do Estado, copiado e agora com cara nova, lembrado pela concorrência. Poucos sabem mas o Fala Rondônia, antes Programa Edvaldo Soares, foi produzido por mim em 2002. Receita boa e duradoura para o ego. Agora mais uma vez recriamos o fórmula infalívem ao lado de grande equipe.
Sérgio Demomi, o chefe da Rede TV, que foi o responsável pela minha vinda a Rondônia, proporcionou o retornar a casa peloa quarta vez e estou feliz onde estou. Na nova Rádio Globo, agora por chocar o horário do Fala com o Mais Rondônia, recebo com grande carinho a missão de comandar a equipe de Esportes e narrar pela Rádio Globo tudo que tiver no Estado.

Resumo
Ano de altos profissionais, baixos pessoais e encerro o ano com altos no campo pessoal Graças a Deus e no Campo Profissional, mesmo com a turma do jornalismo de achaque, personalidades públicas da esfera legislativa e derrotadas nos pleitos municipais, invejosos e incopetentes querendo acertar, derram com os burros n'água. Deus tudo vê e castigo é Divino e a jato.
Na família vitórias... Minha mãe venceu um Cancêr no Rim. Arrancamos o 'maledeto' na bisturizada. Se contar poucos acreditam, mas enquanto ela estava na U.T.I., fez um Cateterismo e um pique de energia impediu o final do exame. Como complemento foi pedido um Eco e uma Ultrassom. Nessa Ultra foi detecado um mancha no Rim, quase que sem querer como diria o Legião Urbana. Deus age de formas surpeendentes... Mas o saldo é que minha mãe, Dona Catarina passou bem pela delicada cirurgia e teve o prazer de curtir o primeiro aninho de sua neta Maria Helena, com a presença de sua primeira neta a Ana Clara que veio do RJ nos dar alegria.
O fim do ano foi perfeito... mesmo com a Malária que o Pedro Arthur pegou e ele já tirou ded letra.

2013
Ano vindouro onde a frente do Fala Rondônia, Esporte da Rádio Globo, Aulas na Uniron (menos desta vez, senão não aguento...), Baixista da Benda Semáforo 89, Líder do Grupo de Stand Up Comedy Ossos do Orifício (Saindo de bares e agora rumando a Teatros e eventos maiores), continuo metido a cozinheiro, amante de cerveja de todos os tipos, vivente pleno da boa vida (menos neste ano e sempre... idade chega uma hora), pai das adoráveis Ana Clara e Maria Helena, e tentando acertar a vida com Rafaela Melo, que proporcionou a vinda da "Nena" e que no final do ano passado, após turbulentos meses e anos, esteve e está do meu lado nas horas em que mais precisei... 
Amadurecimento, segurança e leveza... 
É isto que espero deste 2013. 

Boas Festas a todos e podem voltar a rotina de seguir este Blog.

segunda-feira, dezembro 17, 2012

De volta a ativa!!!

Beju!

terça-feira, julho 03, 2012

Uma reflexão... que anunciei que postaria.



O OLHAR HIPÓCRITA ENTORPECIDO DAS REDES SOCIAIS

– Uma visão de quem assiste de camarote a queda de muitos! Que aprendam a cada queda...


Quanta falsidade. O Bom Dia cheio de vogais ao acordar... O mundo perfeito... O esquecer de compromissos, realidade, contas, trabalho... quanta coisa heim?!
Ao ouvir pessoas falando de um mundo irreal, ou aditivado pelas mentes entorpecidas pela fuga da frustração do ser que alimentam neste plano e nesta era, sem ver o quão proveitosos poderiam ser, me deparo a cada dia com shows de hipocrisia e o baixar do nível da mediocridade. Alguns acham que ser medíocre é ofensa, pobres e podres mentes. Mediocridade é sim fazer parte de um plano médio, o que forma a maior parte dos seres que habitam este planeta.
Quantas frases de efeitos, quantas observações morais e ensinamentos passados por pessoas com o próprio umbigo impregnado de sujeira. Quanta falsidade calcada em ações sociais, para burlar leis, para tapar com a peneira da falsidade os reais objetivos. Quantas bandeiras levantadas de forma errada, para poder agir nas margens da aceitação da boa fé de muitos, visando o aparecer a qualquer custo, e sem nenhum talento. Anônimos, outros nem tanto, desfilam atos ignóbeis pela imposição draconiana de estar presente, por estar, sem saber que rumo tomar. Indústria Cultural dos novos tempos, ou inocentes ratinhos de laboratório com postura de vacas de presépio.
As redes sociais torna-se confessionário na grande rede, onde só lê quem segue e aceita ter isso em sua barra de interação, conforme a estrutura e configuração determinada. Nisso detectamos pessoas más, que utilizam de jogos de palavras pela pura sedução ao bel prazer, independente das consequências, vivem de artimanhas e armadilhas em cima das poucas pessoas boas que creem na amizade pura e plena, o que hoje se torna um diploma de inocência, perante o aumentar das falanges de pessoas com índoles movidas pelo ódio, inveja, frustração e debilidade mental ocasionada pelos excessos de aditivos químicos, “pseudo-naturebas” e outros. Enfim, amadurecer na base da pancada é uma utilidade desse emaranhado de artimanhas nas teias da grande rede.
Para a falta de capacidade intelectual, vemos o chupar de frases de efeitos e o colar textos de comunidades que pregam o bem, para gerar a conquista pela simples contabilidade quantitativa, para fazer o mal, e para iludir mentes carentes. Bosques, Dalais, ‘Vibes’, Emanações, positividades, tudo vira desculpa para uso de entorpecentes, bajulação barata, criação e vivência de um mundo falso formado por pessoas que não sabem o valor do suar na labuta diária, pois alguém os banca, para que banquem o mundo marginal, como por exemplo: o mundo do tráfico, prostituição, levar vantagem em tudo e semear a discórdia.
Estamos num estado democrático, onde todos podem escrever o que quiserem. Todas as pessoas podem ler o que quiserem.  Continuo escrevendo o que quero. Leiam se quiserem. Eu continuarei lendo, analisando o comportamento de corações e mentes e ninguém tem nada a ver com isso. Ei... Este mero artigo foi postado no meu blog e nas minhas redes sociais, portanto espero que gostem.  É o mundo da democracia e prefiro ejacular com o prazer de um texto meu, do que meras cópias oportunistas para o benefício próprio a qualquer custo.
Amanhã, escrevo mais... 

segunda-feira, maio 28, 2012

Artigo levinho... saindo do forno


VIDA DE MÚSICO - PARTE 1:

Tocar na noite é uma valoriza e desvalorizada profissão. Mas só quem é músico sabe a necessidade de ter que tocar. Músico parado é um ser que sofre.
Ficamos vagando de pub's e barzinhos em busca de canja para matar a vontade.
Eu vou e curto com a melhor música que eu executo, ou que realmente possa me entregar naqueles míseros minutos de glória e de relação bicho homem com o instrumento. Alguns neófitos não entendem ou distorcem essa busca, mas enfim... Dar canja também é um auxílio para ajudar o colega que corre para um xixi, fumar um cigarrinho ou dar uns amassos na namorada.
Mas o que eu quero perguntar é o seguinte: Porque que o musico canjeiro que vai tocar Reggae, depois de vir embalado pela noite, escolhe as mais chatas e arrastadas do mundo de Jáh?
Passei por um momento engraçado esses dias... Como contra baixista é raro aparecer um abençoado que toque o instrumento. Sempre tem guitarrista, cantor e alguns bateristas. E lá vieram amigos queridos, que ao ler vão rir, dar a canja da noite com o maldito Reggae... A música mais arrastada, e executada de forma lenta e que nunca acaba...
Eu esbravejei:
– Me chama pra fumar também, pra entrar na vibe, pois essa porra ta virando um mantraaaa!!! Nunca acabaaaa!!!
Nada contra o Reggae, mas tem uma penca de Reggae chato pra cacete, e aquele ‘Tchéc... (pausa de 3 segundos) Tchéc...” e meia dúzia berrando num microfone querendo ser Shaba Ranks com Bob Marley e na pose do Chorão do C.B.Jr.
Vida longa ao Reggae, mas só os legais...

quinta-feira, maio 03, 2012


DIA DAS MÃES

Bolsas lideram buscas de presentes

Uma recente pesquisa apontou que o internauta busca na grande rede opções para presentear no dia das mães. Dentre os produtos mais visualizados estão às bolsas femininas. Os dados apontam a liderança das bolsas, seguido de artigos de decoração para casa e óculos, fixando a margem de 44% das buscas. Somente a categoria de bolsas responde por 16,3% dos acessos.
Na capital de Rondônia, o leque de opções ganhou o reforço com a chegada da franquia da Monica Sanches, uma loja moderna instalada no Porto Velho Shopping. Para a administradora Catarina Morelato a loja oferece bom preço e alta qualidade nos produtos. “Vim de Cacoal e tive a grata surpresa de encontrar essa bela loja”, disse. “O melhor de tudo que fui presenteada pelos meus filhos com uma linda bolsa, já que meu aniversário foi no dia 27”, comenta.
Pelo lado dos filhos, a busca por bolsas tem sido a solução para presentear. “É uma opção certeira, pois consegui visualizar o presente, já que pra nós homens que não temos o hábito de entender o gosto por bolsas femininas, tive um atendimento esclarecedor que facilitou minha vida”, afirma Luis Henrique de Porto Velho. “Já escolhi e agora é comprar e fazer ‘mainha’ feliz”, comenta Mara Regina de Humaitá (AM) que garantiu o presente na Monica Sanches.
A proprietária da loja Jaqueline Machado anuncia que chegaram novidades justamente para atender a demanda da data especial. “Não tem erro, presentear as mamães com bolsas é garantia de felicidade”, comenta. “Mães executivas, mães jovens, conservadoras, mães que gosta de cores vibrantes, todas tem o que sonham aqui na Monica Sanches”, comenta.
Para conhecer mais visite o site: www.monicasanchespvh.com.br, e navegue pelas redes sociais com o Facebook da ‘monicasanchespvh’. A loja está situada a Av. Rio Madeira 3288 - 1º Andar do Porto Velho Shopping, Loja: 213/07 – Bairro Flodoaldo Pontes Pinto, telefone: (69) 3225-3104.

Confira!






quarta-feira, abril 25, 2012


Inove! Sua mãe vai adorar

Duas importantes datas comemorativas estão chegando, e a Monica Sanches aparece para facilitar sua vida na hora de presentear. O Dia das Mães e o dia dos namorados estão próximos e é hora de tirar o ponto de interrogação da cabeça e presentear com bom gosto. São várias opções exclusivas para agradar as mães e, também, as namoradas mais exigentes.

Partindo do princípio que existem mulheres de vários estilos a loja da Monica Sanches no Porto Velho Shopping sabe o que as mais comportadas, mais ousadas, tímidas, extrovertidas e por aí vai! Parafraseando o sambista, percebemos que há diversos tipos de mulheres. Cada uma com seu estilo, tipo e jeito, mas diferentes. É hora de achar o que elas gostam!

Hoje em dia as mulheres essas que já são mães também e exercem essa dupla jornada em suas vidas, como mãe e como mulher.Mas, conseguimos imaginar uma mãe como uma mulher, e assim presenteá-la?Que tal nesse Dia das Mães investir em um presente para ela usar em todas as horas?

Essa é a proposta da Monica Sanches que inaugurou em abril em Porto Velho. As mulheres que passam pela loja e conhecem a qualidade dos produtos, já sabem do que sua mãe vai amar. Agora os homens podem ir sem ter medo, pois além dos preços imbatíveis, a equipe de vendar saberá indicar o melhor estilo de bolsa conforme as características, estilo e perfil de sua mamãe. “Nós facilitamos a vida do cliente, principalmente dos homens, que querem presentear a fazer bonito no dia das mães”, comenta a proprietária da Loja, Jaqueline Machado.

Para conhecer mais visite o site: www.monicasanchespvh.com.br, e navegue pelas redes sociais com o Facebook da ‘monicasanchespvh’. A loja está situada aAv. Rio Madeira 3288 - 1º Andar do Porto Velho Shopping, Loja: 213/07 – Bairro Flodoaldo Pontes Pinto, telefone: (69) 3225-3104.

 Encham os olhos!






quarta-feira, abril 11, 2012

Chegou o Grande Dia - Inaugurada a loja MONICA SANCHES em Porto Velho

MONICA SANCHES
Mulheres em polvorosa com inauguração
Inaugurada a nova loja no Porto Velho Shopping com preços atraentes
A loja MONICA SANCHES do PVH Shopping está show!!!

O que se ouve das clientes é que: “a qualidade é igual a das famosas marcas internacionais e os preços são inacreditáveis”, essa é a proposta da nova grife em bolsas que aterrissa em Porto Velho, a Monica Sanches. O entra e sai frenético e as mãos ocupadas de quem visita a loja e leva para casa a qualidade da marca Monica Sanches para o seu dia a dia, é notado. Quem não levou de primeira, garante que volta em breve para não perder as novidades.

Inauguração
O dia 11 de abril torna-se um marco para o bom gosto. A franquia que tem conquistado o público feminino e facilitado a vida do público masculino na hora de presentear chegou em grande estilo e promove uma semana de inauguração. “A festa vai até o dia 18”, comenta Jaqueline, a proprietária da loja.
Para conhecer mais os produtos, a história e ver a qualidade em fotos, para que daqui uns dias o público possa comprovar, visite o site: www.monicasanchespvh.com.br, e navegue pelas redes sociais com o Facebook da ‘monicasanchespvh’ que anima a festa com uma super promoção de vale bolsas.
A loja está situada a Av Rio Madeira 3288 - 1º Andar do Porto Velho Shopping, Loja: 213/07 – Bairro Flodoaldo Pontes Pinto, telefone: (69) 3225-3104.

REPUBLICANDO! MONICA SANCHES EM PORTO VELHO


MONICA SANCHES
Está chegando a hora!
Dia 11 inaugura a nova loja no Porto Velho Shopping
Esta é a cara do site: www.monicasanchespvh.com.br

Entramos no mês de abril e isto significa que o bom gosto está mais perto do público de Porto Velho. A franquia que tem conquistado o público feminino inaugura no próximo dia 11, com uma semana de festa. A “Monica Sanches” é a marca que vai fazer parte da sua vida a partir deste mês.
Para conhecer mais os produtos, a história e ver a qualidade em fotos, para que daqui uns dias o público possa comprovar, visite o site: www.monicasanchespvh.com.br, e navegue pelas redes sociais com o Facebook da ‘monicasanchespvh’ que anima a festa com uma super promoção de vale bolsas.
A procura pela nova opção, aliada a fama da marca gerou uma grande festa com sete dias de lançamentos e um coquetel para os clientes. “Não vamos nos privar de receber bem, quem procura pelo bom gosto e preço justo, para isso vamos fazer sete dias de evento e todos estão convidados para iniciar a bolsaterapia”, comenta Jaqueline, proprietária da Monica Sanches em Porto Velho.
A loja está em fase final de montagem e está situada no Av Rio Madeira 3288 - 1º Andar do Porto Velho Shopping, Loja: 213/07 – Bairro Flodoaldo Pontes Pinto, telefone: (69) 3225-3104.

segunda-feira, abril 02, 2012

REFLEXÃO DA MADRUGADA...

Após uma jornada de trabalho o ato de chegar em casa:

Deveria ser assim:
"Entrar, beijar os filhos, se possível até brincar e ser brindado com um sorriso inocente. Ser recebido aos beijos pela esposa, receber carinho como reconhecimento pelo esforço de proporcionar o sustento, tomar um banho, clocar uma roupa limpa e acordar na sequência para encarar o trabalho com roupas impecáveis para a continuidade da jornada."

Era assim:
"Entrar, catar lixo, limpar o chão alagado, lavar louça, beijar os filhos, deitar sem fazer barulho pra não levar esporro, tomar banho, vestir a mesma cueca, acordar correndo, pegar a camisa menos amassada, ouvir uma reclamação e quando estiver saindo, voltar correndo pra dar um beijo e tentar trabalhar, após ouvir muito"

É assim:
"Chego em uma casa limpa, impecável. Sou recebido pela minha cama, tomo banho, deito para descansar o esqueleto carecendo de uma cafuné e com saudades imensas. Daqui a pouco vou trabalhar com roupas impecáveis e pronto pra tocar a vida para manter a obra."

Olho para trás e vejo a história se repetir, a mesma condenação de ser privado, de acompanhar de longe... Seria o destino? Vai saber...

quinta-feira, março 29, 2012

ARTIGO - "Sei que não estou perdendo tempo..."


SEI QUE NÃO ESTOU PERDENDO TEMPO...
Ilustração da Teoria do Espelho do Jornalismo - Fonte: Midiatismo

Ao voltar à docência no Ensino Superior, no curso e Comunicação Social: Habilitações de Jornalismo e Publicidade ouso dizer que Rondônia é um laboratório, e que por aqui tudo é aceito como produto midiático. Tanto aceita, que mesmo com meus diversos defeitos, como por exemplo, equívocos de concordância verbal pelo meu sotaque do sudoeste do Paraná e outros mais, atuo no mercado sabendo que não sou a oitava maravilha do mundo. Saliento mesmo assim que não faço algumas coisas que do plano espiritual dão força para que a matéria que descansa nas catacumbas fazem Roquete Pinto, Chateaubriand, Lasswell, Lazarsfeld, Marconi, Landel de Moura, Paulo Francis, Flávio Cavalcanti e tantos outros monstros e cientistas da comunicação se debaterem freneticamente.
O debate em sala de aula sobre linguagens nos veículos de comunicação se estendeu. As formas de aplicação conforme o tipo do veículo espero que tenha sido assimilada pelos futuros colegas, mas hoje cedo tudo foi para o ralo quando eu dirigia rumo ao trabalho ouvindo rádio. Sei que isto é passageiro, no entanto, faço a minha parte e creio que a geração vindoura não terá a preguiça de reescrever textos.
Uma regrinha básica é não aproveitar o áudio de uma matéria de TV no rádio, pois gera o risco de chocar a linguagem. Por exemplo, se na TV o repórter fala ao cobrir uma exposição sobre a beleza de uma pintura, o texto pode ser mais ou menos assim: “- A beleza da tela e o estilo do pintor conquista o público presente”. A cena apresentava as cores, o local do evento e as dezenas de pessoas paradas. Então para o rádio deveria ser assim: “- A tela que leva o nome da Ferrovia Madeira Mamoré, apresentou tons metálicos que remetem a lembrança de uma locomotiva com variações de cores do marrom até preto que retrata o combustível da época o carvão, fazendo com que dezenas de pessoas parassem de frente a obra, para admirar o estilo do pintor”. Na forma da redação de rádio deveria ser assim, com suas devidas sinalizações:

“- A TELA QUE LEVA O NOME DA FERROVIA MADEIRA MAMORÉ,/
APRESENTOU TONS METÁLICOS/
QUE REMETEM A LEMBRANÇA DE UMA LOCOMOTIVA.//
COM VARIAÇÕES DE CORES DO MARROM ATÉ PRETO/
QUE RETRATA O COMBUSTÍVEL DA ÉPOCA O CARVÃO,/
FEZ COM QUE DEZENAS DE PESSOAS PARASSEM DE FRENTE A OBRA,/
PARA ADMIRAR O ESTILO DO PINTOR.//”

Mas que tudo vá para o ralo dos quintos novamente. Ouvi hoje: “O bandido caído aqui... (repentinamente na mesma matéria) foi trazido aqui para o Pronto Socorro... (muda a voz da locução) Positivo, a vítima sofreu o atentado (segue a explicação do policial e do nada, outro pulo de locução com a assinatura do repórter). O plural também manda sinceros abraços. “Os dois acusado”, “Os suspeito foi presos” e por aí vai. Fazer, ser, viver comunicação dá trabalho e enquanto a renovação não acontece, ficamos fadados a ter o ouvido transformado em latrina diariamente.
O espaço deste diário virtual, meu humilde blog, é meu trombone! Que seja útil para alguém, pois continuo lendo, investindo e crendo na melhoria da qualidade jornalística, principalmente no rádio, veículo que tanto amo e que iniciei minha carreira.

quinta-feira, março 15, 2012

MÔNICA SANCHES EM PORTO VELHO


BOLSAS
Um mundo desvendado pelo bom gosto
Com essa proposta que a franquia Mônica Sanches se instala em Porto Velho neste mês

Baton, carteira, chicletes, documentos… Tudo tem um destino, o interior de uma bolsa! Acessório indispensável para as mulheres, por ser prático e charmoso. Está presente na vida de todos aqueles que precisam de seus pertences a qualquer hora, em qualquer lugar. Mas como será que foi o início deste hábito?
A incerteza sobre o surgimento, não está embasado em nenhuma teoria única e verdadeira, no entanto ma coisa é certa, a necessidade veio do tempo das cavernas. É bem provável que o primeiro modelo foi feito com pele de animais caçados e tinha como principal função, facilitar as viagens dos povos nômades.
O tempo passou e os modelos evoluíram. As mudanças foram nos tamanhos, tipos de materiais, enfeites, alças, bordados e cores. Uma verdadeira representação do que acontecia historicamente no mundo. Hoje em dia não é diferente. A Internet nos possibilita buscar rapidamente “aquela bolsa desejada”. Várias marcas surgiram ao longo dos tempos, muita valorização nos preços e para combater isso a pirataria, mesmo assim, a vontade de ter uma bolsa de ótima qualidade aliada a uma marca era maior. Com isso teve gente que levou a sério esta vontade.
No Brasil, marcas pipocam pelas vitrines, marcas famosas crivam napas falsas. Na busca por um custo benefício correto e com ótimo gosto, uma empresa brasileira quebra paradigmas e cresce por ser leal junto à clientela. No início dos anos 90 uma empresa uniu a vanguarda da Europa com a sensualidade brasileira. O nome da marca, Mônica Sanches, traduz essa fusão. A missão da empresa que hoje conta com dezenas de lojas e franquias pelo Brasil é oferecer um produto moderno, original, de qualidade e bom gosto, para mulheres elegantes e inteligente.
Porto Velho
Em Porto Velho, o público se prepara para o dia 11 de abril, pois a marca se instala na capital de Rondônia no Porto Velho Shopping. O público já aguarda. “Conheci a marca em Manaus e agora fica mais fácil, pois gostei do que vi e meu bolso também”, comenta a professora universitária Silvana Carla. “Procurando modelos e novas tendências, conheci o site e agora sabendo que a loja vem para cá, não perderei a oportunidade de ver de perto, pois adorei a loja virtual”, comenta Lucia Machado, empresária.  
História
Desde o Egito antigo existem o registros do uso de bolsas ornamentadas, inclusive com fios de ouro. No século 14 é que os registros marcam a difusão das bolsas. Até o fim da Idade Média as bolsas variavam de formas e gostos com tamanhos, ornamentos e capacidade interna peculiar a cada sexo. Os homens também são público alvo desta forma de comportamento. As bolsas masculinas, maiores que as femininas eram geralmente feitas de couro, peles, tecidos ornados com franjas, pingentes, bordados em fios de ouro, prata e pedrarias. Algumas bolsas chegavam a custar mais caro do que o ouro da época. Nada mudou! As pochetes eram pequenas e chatas, presas bem rentes a cintura. Já os sacos eram maiores e suspensos por longos cordões, muitas vezes chegando abaixo do joelho.
Certas bolsas “especiais” tinham o objetivo de carregar itens como remédios, tabaco, rapé, chaves, leques, escovas de cabelos e algumas foram desenhadas para armazenar relíquias e livros de oração, conhecidas como bolsas relicário. No século XV as bolsas ainda continuavam a ser usadas suspensas pelo cinto tanto por homens como por mulheres. Na versão feminina era chamada de escarelle (palavra francesa escar, que significa avarento). Na versão masculina, estilo à bolso (um modelo retangular) e à esmoleiro (trapezoidal ou quadrada).
A prática medieval de dar esmolas deu origem a uma bolsa chamada Almoniere. Ela foi usada predominantemente nas Cruzadas, continuando no período Gótico e na Renascença. Designada para carregar moedas de ouro, foi dada pelo clero a membros das Cruzadas. Foram confeccionadas em seda, linho, veludo ou em couro, suspensas na cintura por cinturões ou cordões.
Hoje o ter, usar, possuir e varias os diversos modelos de bolsas, faz parte do comportamento e das exigências estéticas do dia a dia. Quem não está acostumado, que se acostume, pois uma bolsa pode abrir caminhos.

quinta-feira, fevereiro 09, 2012

FEEDBACK - Caos na Aviação!


APÓS A PUBLICAÇÃO DE UM ARTIGO AQUI NESTE BLOG, CONFIRAM MAIS ESTA BORDOADA!!!
Denúncia
Mais um acidente aéreo no Brasil.
Meu nome é Oberdan Barbosa, sou formado em adm. de empresas, falo outras línguas, tenho experiência internacional na área de aviação, certificados reconhecidos pelo FAA e IATA, fui Agente de Rampa da FEDEX por seis anos e meio, enfim sou uma pessoa séria. Minhas denúncias passam de UTILIDADE PÚBLICA, pois, envolvem falhas sérias na segurança de vôos, acidentes previstos por mim, os quais aconteceram
exatamente como eu havia previsto. Eu fotografei, passei a meus superiores que nada fizeram, o primeiro acidente aconteceu (tenho provas, aliás, eu tenho provas de tudo que escrevo agora). Denunciei também a falsificação de Planos de Vôo, logicamente fui demitido. Fiz denúncia à Ouvidoria da Infraero, houve investigação e mudança de procedimento, tenho toda correspondência com a Central da Infraero em Brasília, mas, só poderia ter acesso ao resultado da investigação através de um pedido judicial. Movi uma ação contra a empresa. Tenho provas materiais que minha advogada foi comprada, até minhas testemunhas, todos cometeram perjúrio para acobertar toda aquela inconsequência e desrespeito pelo cidadão, usuário ou não da aviação. A sentença só seria aceitável se a juíza estivesse sendo coagida, corrompida ou mesmo fora de juízo perfeito. Uma outra juíza entrou em contato comigo, iniciamos uma amizade e falamos muito a respeito da ação, ELAS SE COMUNICAM e sou instruído a novo procedimento que incluia a troca de advogado, pois, me convenceram que fui traído. Encaminhei o resumo de todos os erros da juíza incluindo, documentos adulterados grotescamente pela FEDEX, falsificação explícita de minha assinatura, uma série de falhas muito graves que,
totalizaram três páginas de WORD. A juíza novamente acoberta a Fedex (traído novamente), impedindo-me de ter acesso ao resultado das investigações.
Já tive de responder às autoridades federais sobre esses assuntos, pois, fiz denúncias à Procuradoria Geral da República e à ANAC.
PRECISO DE AJUDA, pois tenho certeza que muito do que cansei de reportar continua sendo feito e mais acidentes acontecerão (avião quando cai faz estragos!!!). Se eu contar tudo que já vi e foi investigado só em Viracopos, vocês não voam mais! Se tivesse sido feito um trabalho sério com verificação de planos de vôo, o acidente com o aviação da Gol (154 mortos)! Teria sido evitado. A Mastertop Airlines também falsifica planos de vôo.
O pior é que a Fedex, através do CITIBANK também fez com que meu nome fosse enviado ao SPC e SERASA. Perdi minha cidadania, não consigo emprego (trabalho até consigo). Estão me matando aos poucos. PREFIRO QUE O FAÇAM DE UMA SÓ VEZ!! Não sei o que fazer!!!
Se acharem que mereço atenção favor entrar em contato, por e-mail ou pelo phone 19 9775 3842. Lembrando que tenho provas de tudo, senão, não faria as denúncias. Tenho muito mais HISTÓRIAS pra contar. ENTENDAM QUE ISSO É MUITO IMPORTANTE, POIS, ATINGE À TODOS QUE UTILIZAM OU NÃO AVIAÇÃO E O PODER PÚBLICO.
SIM!!! TEM DROGAS ENVOLVIDA SIM!!! E ESTOU CORRENDO PERIGO DE VIDA. Minhas denúncias podem ajudar os familiares das vítimas com o avião da GOL, pois eu vivo o mesmo dilena desde anos antes do acidente. A diferença é que eu quero as respostas pras denúncias que fiz antes de tantos acidentes acontecerem. É NOSSO DIREITO DE CIDADÃO.
Podem me ajudar
Cordialmente
Oberdan

sexta-feira, fevereiro 03, 2012

CHASKI Produção de Áudio

Hoje três novas campanhas publicitárias se iniciam com a 
PEUGEOT - CITROEN - KIA MOTORS
"O nosso negócio é com você!"

Ouçam em primeira mão o que vai rolar nas rádios de Porto Velho.

Vale salientar que a agencia é a 
Balloon by Rafaela Melo 
e que o VT que ficou perfeito é da 
Cena Viva by Neto Cavalcanti.

CITROEN - LA VILLETE
video

PEUGEOT - LE PALACE
videoL

KIA MOTORS - VIA PINHEIRO
video

quinta-feira, fevereiro 02, 2012

ENTÃO VAMOS FALAR DE FOTOGRAFIA...


O JACARÉ BANGUELA fez o favor de publicar este merecido crédito, mostrando criadores e criaturas...
Ter uma máquina, não significa ser fotógrafo, se bem que tem gente que se intitula como tal... Prostituindo mercado, aplicando golpes e outras falcatruas ao meio de um silêncio barulhento...
Deleitem-se com um show de Olhar!
Behind Photographs Book ABout Photos

Behind Photographs Book ABout Photos
Behind Photographs Book ABout Photos
Behind Photographs Book ABout Photos
Behind Photographs Book ABout Photos
Behind Photographs Book ABout Photos
Behind Photographs Book ABout Photos
Behind Photographs Book ABout Photos
Behind Photographs Book ABout Photos
Behind Photographs Book ABout Photos
Behind Photographs Book ABout Photos
Behind Photographs Book ABout Photos
Behind Photographs Book ABout Photos

quarta-feira, fevereiro 01, 2012

LERAM LÁ FORA!

O colega jornalista Fernando Caetano passou este link sobre o feedback de um artigo que escrevi, mais o belo trabalho do colega Altino Machado, por meio do jornalista Tom Phillips, que foi pautado pelo mesmo fato.
Graças ao site www.rondoniaovivo.com.br, que publicou meu material na internet, foi lido!

Segue o link.

Quem não fala inglês tá aqui ó, sem a devida concordância verbal: http://translate.google.com.br/

Refugiados do terremoto no Haiti fugir para o BrasilMilhares de imigrantes haitianos têm procurado o Brasil, um novo poder econômico.Tom PhillipsJanuary 19, 2012 06:31
 
Um homem haitiano vende bandeiras do Brasil, um dos países que participam da Copa do Mundo de futebol na África do Sul em 10 de junho de 2010, em ruas de Petion-ville, Haiti. (Thony Belizaire / AFP / Getty Images)Brasiléia, Brasil - A cada dia Silvaine Doris chora.
Ela chora por sua terra natal, Haiti, devastado pelo terremoto de janeiro de 2010.
Ela chora por seu irmão e irmã que perderam suas vidas no desastre.
E ela chora por seus dois filhos, com idades entre 7 e 11, que ela deixou para trás em Port-au-Prince, numa tentativa de construir uma nova vida de milhares de quilômetros de distância em um canto do globo, ela só conhecia das páginas amarrotadas da escola livros-texto - Amazônia Brasileira.
Doris é um dos milhares de refugiados do terremoto do Haiti que fizeram esta peregrinação difícil e inusitada desde a catástrofe atingiu em 12 de janeiro de 2010.
Leia mais: Onde é que o dinheiro do Haiti ajuda vai?
"Sinto falta-lhes muito", diz a vendedora de 46 anos de idade, sentado folga na varanda de uma pousada bamba de madeira na cidade fronteiriça brasileira de pequena Brasileia. "É a primeira vez que eu já estive tanto tempo separados dos meus filhos."
O Brasil tem sido um destino para os trabalhadores migrantes, legais e ilegais.São Paulo, a capital econômica, é o lar de dezenas de milhares de bolivianos, muitos dos quais trabalham dia e noite em volta street-suor-shops confecção de roupas.
Entre o início do século passado e 1960, como muitos como 250 mil imigrantes japoneses chegaram, muitas vezes fugindo da pobreza rural. O Brasil é hoje, disse à casa a maior população japonesa fora do Japão, com cerca de 2 milhões de brasileiros alegando descendência asiática no último censo.
Mas a chegada repentina e sem precedentes de milhares de haitianos tem provocado um debate nacional sobre imigração e sublinhou os desafios o Brasil começou a enfrentar como a sua economia surge em meio a um boom de commodities em curso. À medida que cresce, o Brasil é cada vez mais visto como um destino atraente para os empobrecidos migrantes económicos de lugares tão distantes como a África Ocidental e Bangladesh.
Read more: mundo da economia do Brasil é 6 º maior
"Depois do terremoto em janeiro de 2010 um fluxo de haitianos começaram a chegar no Brasil. Nós nunca tivemos Haiti / Brasil migração antes ", disse Paulo Sergio de Almeida, o presidente do nacional do Brasil de imigração conselho. "Foi a primeira vez."
Segundo dados oficiais, até 4000 haitianos entraram na região amazônica desde o terremoto através de pequenas cidades fronteiriças, como Brasileia.
Com suas vidas de volta para casa em frangalhos ea economia frágil Haiti ainda está lutando para encontrar seus pés duas anos após o terremoto, eles vêm em busca de trabalho e uma fatia de o boom brasileiro.
"Eu vim aqui por causa do problema econômico", diz Doris, que vendeu o shampoo antes do terremoto de magnitude 7,0-rasgou através de sua terra natal."Nós não temos nada - nenhum trabalho. Tudo o que podíamos fazer era vir aqui em busca de um futuro melhor. "
Almeida, o presidente do conselho, disse que a presença militar brasileira no Haiti haviam contribuído para a reputação do Brasil como acolhedor, país cheio de oportunidades. Desde 2004, o país sul-americano levou força de estabilização da ONU Minustah lá.
"O Brasil tornou-se muito visível em todo o mundo e particularmente no Haiti por causa da presença brasileira lá. Eles perceberam que o Brasil existia e que eles poderiam ter uma qualidade de vida decente aqui e decidiu vir em busca de melhores oportunidades ", disse ele.
Mas o caminho improvável e risco espalhados ao Brasil representa uma aposta importante, com os migrantes descascar para fora milhares de dólares para pacotes de viagens, que levá-los a partir da República Dominicana, que compartilha a ilha caribenha de Hispaniola com o Haiti, para o Panamá e depois para Equador. De lá, eles viajam de ônibus através de Peru e Bolívia antes de chegar à fronteira com o Brasil.
Uma vez lá, nas cidades fronteiriças, como minúsculos Iñapari no Peru, eles contratam coiotes locais para contrabandear-los através de regiões remotas da floresta para o Brasil. Muitos são afastados pela Polícia Federal e deportado depois de dias de trekking, apavorado e perdido, através da selva. Os outros fazê-lo para abrigos improvisados ​​e hotéis apertado onde aguardam documentos que lhes permitirá trabalhar.
Até o final do ano passado, a mídia brasileira em grande parte ignorado os recém-chegados do Haiti. Seu destino primordial, do estado do Acre da Amazônia, é tão remota que alguma piada brasileiros que na verdade não existe. Jornalistas das principais agências de notícias brasileiras raramente se aventuram lá.
"A Amazônia é, como sempre, fora de foco", disse Altino Machado, blogueiro respeitado locais, que é baseado no capital do Acre Rio Branco e tem seguido a situação dos haitianos da Amazônia desde que começaram a chegar no início de 2010.
Isso agora mudou. Em Dezembro de quase todos os principais jornais do Brasil enviou seus repórteres à região depois de centenas de haitianos chegou à região no espaço de poucos dias, levando advertências de um "desastre humanitário".
Com os haitianos rebocados através das primeiras páginas dos maiores jornais do Brasil, o governo foi forçado a reagir, anunciando que iria fechar a fronteira para visto menos haitianos, mas emitiria cerca de 100 vistos de trabalho por trás meses no Haiti.
Os cerca de 4.000 haitianos que já fez no Brasil seriam todas vistos de trabalho concedidos, segundo as autoridades, mas as chegadas futuro seria rejeitado.
Mas mesmo para aqueles que o fizeram antes as fronteiras fechadas, trocando a agitação de Port-au-Prince para as cidades de fronteira bucólico da Amazônia, a vida não tem sido fácil.
"Os residentes no Brasil têm sido muito tolerantes", disse Machado. "O problema é na Bolívia. Os caras [policiais corruptos e coiotes] estão abrindo suas mochilas e tendo seus sapatos e roupas. Se eles encontrarem dólares, levá-los também. Eles estão exigindo subornos. Todos os tipos de extorsão. E [ouvimos] de tentativas de estupro das mulheres. "
Outros são relatados ter feito desembarques mais suave na região, procura de emprego em grandes projetos de infraestrutura como a barragem de Jirau hidrelétrica na Amazônia vizinhos de Rondônia, parte de uma campanha do governo para atender às demandas de energia balonismo como a economia do país se expande.
Um editorial recente publicado no site de notícias Rondônia Ao Vivo elogiou a comunidade florescente capital do Estado haitiano em Porto Velho.

"O povo haitiano veio, arregaçaram as mangas e procurou trabalho. Hoje vemos por aí com seus belos sorrisos, andar de bicicleta recém-comprado, falando em celulares e reconstruir suas vidas através de oportunidades que a nossa maravilhosa terra lhes oferece. "