domingo, janeiro 04, 2009

JORNALISTAS TURISTAS -Cap 2

Por Luciano Santiago

CAPÍTULO 2 – Giro por Cuiabá – O retorno – Loucos ao volante.

Chegando em Cuiabá, temos várias opções de Hospedagem. Com o crescimento da capital do Mato Grosso, Várzea Grande também se deu bem com isso, oferecendo uma interessante estrutura hoteleira. Desta vez fiquei no Hotel Ceolatto, próximo ao Aeroporto. Quartos bons, banheiros precisando de reforma, ótimo café da manhã e atendimento no estilo sulista com direito a roda de chimarrão no final da tarde.

Nas próximas vezes explorarei outros a fim de fazer um estudo melhor sobre os serviços oferecidos na rede hoteleira de Cuiabá e adjacências.

Quem quiser participar sendo personagem desta saga basta enviar o material e bater um papo comigo pelo MSN que será destaque desta coluna. Acesse: www.santiagoroajunior.blogspot.com e entre em contato pelo formulário interativo na página.

Giro por Cuiabá

Um banho de Shopping é fundamental, até para comparar com os serviços oferecidos com o nosso de Porto Velho. O mais antigo é o Goiabeiras, que ainda é bom, mas com cara de abandonado. O Shopping Três Américas é a opção para quem está na região do Coxipó, com boas salas de cinema, lojas e praça de alimentação. Mas o melhor é o mais novo, o Shopping Pantanal que tem de tudo, é grande e somente depois de umas três idas é que se entende a planta do mesmo. Quando falei sobre crescimento é uma baita verdade, pois o único incoveniente é achar uma vaga no estacionamento. Com isso se estiver com pressa e grana sobrando estaciona na área VIP e pague módicos R$7,00 com direito a manobrista e tudo.

A noite cuiabana reserva opções diversas com suas peixarias, boates de diversos níveis até a badalada Lótus que custa R$120,00 a entrada. A dica é o SESC Arsenal, com barzinhos e apresentações diversas. Fiquem atentos a programação do Teatro da Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT) que está de vez no roteiro das grandes peças nacionais. Prestem atenção nos out-doors pois sempre tem show bom na capital de Mato Grosso.

Durante o dia fiquem atentos nos cruzamentos, nada de vidros abertos nos sinais, pois a “pivetada” vem fazendo a festa. Se não sabe dirigir em Cuiabá vá de taxi, pois suas ruas estreitas podem enganar facilmente os turistas. Outra dica de visitas são as igrejas da Matriz, Boa Morte e São Benedito. Visitem o Centro Político Administrativo, o maior templo da Assembléia de Deus, conhecido como “Maracanã de Deus” ao lado do Shopping Pantanal, além do Mercado do Porto, Aquário Municipal e Zoológico da UFMT.

O Retorno

Perdi uma hora de bobeira, pois em Cuiabá o horário é de uma hora a mais. Mudei o horário de pulso, mas não o celular. Queria sair às cinco da manhã acabei saindo as seis pela confusão. Com a companhia do Professor de Educação Física de Cacoal, Orlando Júnior, pegamos a estrada. Viagem com alguém para conversar é fundamental, já que fui sozinho na ida para Cuiabá.

Abasteci no posto da Perimetral, todos com preços bem baixos de combustível e com atendimento bom. Peguei a estrada pela Ponte Mário Andreazza e saí no trevo do Lagarto evitando o transito de Cuiabá e Várzea Grande.

As condições da BR trazem pequenos buracos até o posto 120 antes de Cáceres. Reparem as entradas de Poconé e Nossa Senhora do Livramento, que são portais ao Pantanal Matogrossense. Ótima dica para as férias!

Chegando em Cáceres, vale a pena dar um giro pela cidade que é palco do Festival Internacional de Pesca (FIP). Pegando o rumo de Rondônia parem para fazer fotos da ponte sobre o Rio Paraguai que é digno de cartão postal.

Passando a ponte e os pontos de vazão do rio, logo se chega ao acesso a San Mathias (BOL), que em breve terá uma Zona Franca para compra de produtos importados. A cidade fica a 60 quilômetros da BR. Na sequência prestem atenção para abastecer no Posto Pedro Neca ou no Posto Tuiuiú chegando em Pontes e Lacerda, onde almoçamos. Asfalto ótimo e sigam para Comodoro e na sequência Vilhena. Atenção para a pouca sinalização no asfalto com alguns trechos sem faixas.

Loucos ao volante

Chegando em Vilhena abasteci o carro e saímos do Portal da Amazônia abastecidos também com Tereré. Passamos pela entrada de Cabixi e vimos um carro que rodou na pista em decorrência da forte chuva. Sem feridos, tocamos em frente.

Presenciamos vários “fominhas” ao volante fazendo ultrapassagens irresponsáveis e perigosas. Chegamos a Pimenta Bueno, um inferno para atravessar a cidade com o mundo de buracos e desvios. Ao passar pelo trevo de acesso a Espigão do Oeste começam as loucuras de mais um motorista. Desta vez duas preocupações: Com a segurança minha e de meu passageiro e com a segurança de um talento em ascensão do MotoCross.

O Furgão do piloto Marco Túlio #990 nos ultrapassou em alta velocidade e em situação perigosa. Passou pelo posto fiscal da PRF com seta ligada todo o tempo dando a informação que os carros que o seguiam não poderiam ultrapassar. Mesmo em locais em condição de ultrapassagem e com trânsito livre, vários carros e carretas ficavam presos a sinalização errada.

A coisa piorou no distrito de Riozinho (Cacoal). O furgão atrás de uma carreta passou a mesma e como tínhamos campo visual e condições passamos a carreta na sequência, mas o furgão resolveu fechar meu caminho e com a seta ligada. Buzinei e o mesmo ignorou colocando todos em risco. Pedi atenção ao meu companheiro de viagem que armou as máquinas digitais de fotografia. Chegando em Cacoal registramos o rosto do motorista, que não só colocou em risco a minha vida como penso que coloca em risco a vida de um talento esportivo de Rondônia.

Marco Túlio sou seu fã e quero vê-lo despontando no cenário nacional do MotoCross, mas mude de motorista de seu furgão se quiser chegar inteiro.

Como se não bastasse, ao parar em Cacoal para deixar meu companheiro de viagem, segui para Ji-Paraná vendo de longe a irresponsabilidade do motorista de um corsa Branco, colocando em risco toda sua família. O carro lotado com passageiro idoso e crianças fez ultrapassagens perigosas, em faixa contínua e com carretas embaladas no sentido contrário. Até chegar em Ji-Paraná vi que ele chegou inteiro, mas até o destino dele não sei o que aconteceu.

Final do trecho, com 12 horas de viagem pela forte chuva, paradas estratégicas tanto para encher a térmica de tereré como para se livrar de motoristas loucos na BR. A dica é: cuidado com furgão de piloto de MotoCross e com Corsa Branco! Boas Férias a todos e semana que vem tem mais.

Próxima Etapa

Ji-Paraná até Sapezal e seus atoleiros (MT)

Um comentário:

Ricardinho disse...

Pow a semana que vem não chegou
??? ou esta viajando ate agora???
tem que cumprir com seu compromisso de postar!!